Ativistas de Chapecó (SC) mobilizam-se pelo fim dos rodeios ( vídeo)

Ativistas realizam movimento contra a realização de rodeios na cidade de Chapecó (SC) após vídeo flagrar maus-tratos como peões pisando, chutando, cutucando e puxando o rabo de animais para agitá-los e estressá-los antes da entrada na arena. As informações foram enviadas para o grupo ativista local, o SementeS, que está dando continuidade na denúncia. Abusos como esses são comuns nas práticas de rodeios no mundo inteiro. Assine aqui a petição pelo fim dos rodeios em Chapecó.

“Rodeio” Conheça-o Melhor

(Não tenha medo de ler algumas linhas!)

Certamente podemos atrair investimento e fomento ao comércio e ao turismo das cidades onde há rodeio sem o uso covarde e aético dos animais como isca (que sofrem calados as atrocidades covardes neles executadas). Pesquisas e estudos recentes demonstram que os jovens e o grande público não vão aos rodeios por causa das provas em que os animais são covardemente abusados, mas sim em razão dos shows e apresentações artísticas, além da oportunidade de encontro entre as pessoas (paqueras, etc.). Em razão disso, em várias cidades do mundo os animais deixaram de participar desses eventos que, atualmente, contam com shows musicais e culturais – e sem a participação e o sofrimento dos animais, esses eventos recebem um público muito maior (quase o triplo) – já que as pessoas que enxergam e sabem o que realmente acontece com os animais passam a ir aos shows onde animais não são usados e covardemente abusados.

Leia Mais!

Boi é visto como máquina nos rodeios e “aditivos” aos animais causam polêmica

As carretas chegam e desembarcam as “máquinas”. Socos e choques ajudam a manobrá-las para os boxes… quer dizer: os currais do lado de fora da arena. Isso acontece quatro horas antes de eles começarem a apresentação de oito segundos de salto e rodopios tentando ejetar seu piloto.

  • Flávio Florido/UOLBois são transportados em carretas, após serem examinados por veterinários comprovando aptidão

 

 

 

 

  • Flávio Florido/UOLOs animais são tocados para dentro e para fora
    das carretas com ajuda de bastões que dão choque

 

 

 

  • Flávio Florido/UOLOs bois ficam em currais até irem para os bretes, que são os corredores estreitos em direção à porteira de partida para iniciar a competição

 

 

 

 

Leia Mais!

Analisando e refutando as leis nacionais dos rodeios


Muitos peões, organizadores de rodeio e mesmo amantes dos rodeios, perante os protestos das associações de defesa animal, costumam argumentar que as leis nacionais dos rodeios existem para legalizar a atividade, distanciando-a da possibilidade de ser considerada crime, minimizar o sofrimento infligido aos animais e coibir maus tratos nessas atividades. Essas leis são a 10.220/01, que regulamenta a atividade de peão de rodeio, e a 10.519/02, que trata de cuidados sanitários e outras providências para os rodeios.

Leia Mais!