z377971_149594211818546_949219253_nAs gineteadas consistem em um ginete (peão) tentar ficar de 6 a 12 segundos em cima de um cavalo, dependendo da modalidade. Sua prática  é comum na Argentina, Paraguai, Uruguai, no sul do Brasil e no sul do Chile.

Em todas as modalidades de gineteadas o cavalo é amarrado em um poste e tem seus olhos vendados, assim que ginete monta no cavalo as vendas dos olhos dele são tiradas e ele é desamarrado. Em todas as modalidades os cavalos levam esporadas e chicotadas, sendo que o chicote usado em gineteadas é conhecido como rebenque ou relho, sendo que na modalidade basto oriental é usado um chicote de outro tipo chamado pala.

Foto de necropsia de cavalo mostrando hematomas causados por chicote.

Foto de necropsia de cavalo mostrando hematomas causados por chicote.

O chicote é causa de muitos ferimentos. A pele do cavalo tem sua estrutura anatômica e fisiológica que é muito delicada e consiste de glândulas sudoríparas, os músculos da pele, vasos sanguíneos e nervos. É por isso que é extremamente sensível a lesões. Usando um chicote, mesmo sem uma grande força, se faz ferida na pele do cavalo. Por causa da pigmentação e da pele esses hematomas são invisíveis ao olho, no entanto eles existem.

 

foto_gineteada_flyerUsar um chicote com uma força maior causa ferimentos graves — cortes e danos de tecidos mais profundos como fáscias, vasos sanguíneos e fibras musculares. A lesão também está relacionada com a umidade da pele e a pelagem de cavalos. Cavalos que estão cobertos de suor ou que estão tosados podem ser gravemente feridos, mesmo com o uso mais leve do chicote.

 

 

 

 

Ferimentos causados por esporas.

Ferimentos causados por esporas.

As esporas são objetos pontiagudos ou não, acoplados às botas dos competidores, servindo para golpear o animal na cabeça, pescoço e baixo-ventre. Sem fundamento o argumento de que as esporas rombas (não pontiagudas) não causam danos físicos nos animais, pois visa-se golpear o animal e, portanto, com ou sem pontas, as esporas machucam o animal, normalmente provocando cortes na região cutânea e perfuração no globo ocular.

Um estudo feito pela Dra Lydia Tong indica que cavalos podem sentir mais dor do que humanos. O estudo demonstra que os cavalos têm uma camada superior de pele mais fina com mais terminações nervosas e fibras sensoriais que os humanos.

Modalidades de gineteada:

Gineteada 4Pelo – A modalidade pelo consiste em montar no lombo do animal diretamente em contato com o pelo, nessa modalidade é utilizado o tento que é um tipo de arreio que é amarrado na crina do animal para o peão se segurar ou então ele se segura em rédeas. O ginete deve permanecer por 8 segundos em cima do animal enquanto este é chicoteado e esporado.

 

 

 

Gineteada 3Gurupa Sureña – Consiste em montar o cavalo de boca atada. Um bocal é atado a língua e a mandíbula inferior do cavalo, quando o ginete monta no cavalo ele puxa o bocal através das rédeas com uma mão e usa o rebenque ( chicote) com ao outra. Uma armação de ferro e esponja chamada gurupa é atada no animal através de travessão e barrigueira, este recurso permite o peão levar o pé até o pescoço do animal e dar esporadas naquela região. O peão deve permanecer por 12 segundos em cima do animal.

Basto aberto – Consiste em montar o cavalo de boca atada, um bocal é atado a língua e a mandíbula inferior do cavalo, quando o ginete monta no cavalo ele puxa o bocal através das rédeas com uma mão e usa o rebenque com ao outra, sobre um basto e com estribos redondos e em forma de pratos. O ginete deve permanecer por 12 segundos em cima do animal.

Demonstração de gineteada na Festa do Peão de Barretos 2014.

Demonstração de gineteada na Festa do Peão de Barretos 2014.

Basto Oriental – Consiste em montar o cavalo de boca atada, um bocal é atado a língua e a mandíbula inferior do cavalo, quando o ginete monta no cavalo ele puxa o bocal através das rédeas com uma mão e usa o pala com a outra, sobre um basto e com estribos. O ginete deve permanecer por 12 segundos em cima do animal.

Fontes:

Fontes:
The horse crucified and risen de Alexander Nevzorov: http://www.livrariacultura.com.br/p/horse-crucified-and-risen-30677162
Obs: Alexander Nevzorov aparece montando um cavalo na capa do livro pois a foto foi tirada na época ele ainda não sabia que isto causava danos aos cavalos, quando começou a fazer pesquisas Nevzorov primeiramente ficou sabendo dos danos que os freios causam e por isso começou a montar sem freios ao saber que mesmo sem freios os cavalos ainda sofrem danos ao serem montados ele parou de montar. Nevzorov não treina mais cavalos em sua escola ao invés disso ele e sua esposa agora ensinam anatomia, fisiologia e como cuidar de cavalos e ter uma covivência harmoniosa com eles, Nevzorov não é mais a favor de reproduzir cavalos em cativeiro, ele acredita que a geração atual de cavalos devem ter vidas tranquilas e protegidas e que as próximas gerações de cavalos selvagens nascida deve continuar a viver como a natureza pretende. (Fontes: http://ourhorsescommunity.blogspot.com.br/2012/03/update-from-nevzorovs.html
http://www.haute-ecole.ru/school/lofiversion/index.php/t15202.html)

http://odeiorodeio.com/site/a-verdade-sobre-o-rodeio/#ferramentas
http://www.wolnekonie.org/science_en_wroblewski.html
http://www.ethicalmagazine.org/el-caballo-tan-sensible-como-aparenta-por-maria-gonzalez-sola/
http://ourhorses.org/horse-training/horses-may-feel-more-pain-than-humans/
http://www.concaballos.blogspot.com.ar/2014/01/jineteadas-en-honor-nuestras-tradiciones.html

 

Comentários